Habitação

Casa na Foz Velha - Porto

-  Existem projectos masi trabalhosos do que outros pelos detalhes que implicam.

- Em remodelações como esta, no decorrer da obra, vão surgindo surpresas, e as soluções que se vão encontrando melhoram o projecatdo inicialmente. 

- O cliente desta casa, quis ( e bem !), demolir diferentes divisórias e criar uma grande sala com  a cozinha integrada no mesmo espaço.

A cobertura em telha vermelha igual em tantas casas  da Foz Velha, seria reposta.  Respeitou-se a sua configuração inicial . 

Incorporou-se nela, três clarabóias do tipo " Velux" o que resultou numa maior luminosidade natural  ao espaço único, provido de  janelas demasiado pequenas.

Foi previsto ainda  isolamentos térmico e acústico reforçados. 

Foram criadas asnas em madeira de "casquinha" compostas e  trianguladas, elevadas relativamente ao seu arranque nas paredes laterais.

AZULEJOS:

Portugal tem uma tradição imensa na azulejaria suportada pela arquitetura nas mais diferentes vertentes.

Nos anos 50 do séc XX, surgiram corrrentes que se destacaram na reinventação da azulejaria em Portugal como por exemplo de Maria Keil estando presente na arquitetura de forma diversificada .

O mercado emergente das tintas e a chamada facilidade construtiva veio a provocar o declínio da azulejaria na arquitetura portuguesa. Esperemos pois, que ressurja novamente ....

O dono desta casa, por sinal Holandês há muito radicado em Portugal, era muito sensivel a esta arte,  e quis preservar e ampliar lambris de azulejo no corredor de acesso à sala.

Estes azulejos denominados de " figura avulsa" foram difundidos em Portugal precisamente por artistas holandeses oriundos de Delft e Roterdão, a partir do séc XVIII.

Os azulejos foram reproduzidos a partir de matrizes existentes no local , sendo  dos anos 40 .

Foram trabalhados através do método da "estampilha" e tinta azul. Foram pintados e cozidos de forma artesanal, pelo ceramista Francisco Pessegueiro.

Foram ainda concebidos outros padrões para revestimento de um lambril junto á  cozinha, dentro do mesmo estilo.

Nos dois banhos remodelados foram introduzidas frisos com motivos idêntico na dimensão de 7x14 cm articulados com peças brancas de maior dimensão.

- No final criou-se um ambiente coerente para todo a casa.

 

 

Mário Pessegueiro  12 -2017

Projeto: 2016
Execução : 2017
Arquitetura: Mário Pessegueiro
Recuperação de cerâmica e azulejaria: Francisco Pessegueiro
Colaboradores: Rui Brandão, Rui Alves, Fátima Moura