Habitação

Vilar de Mouros - renovação

Recuperar  espaços exteriores de uma propriedade, é um trabalho árduo pois  envolve várias artes da construção e a sua coordenação  é sempre complexa. Neste caso tratava-se de uma casa de família  ; a "Quinta do Pessegueiro". 

Muito do que se projectou fica enterrado em infraestruturas como eletricidade   rede de abastecimento de águas , e tipos de rega. Houve ainda  recuperação de muros em pedra, cabines técnicas e alpendre agrícola, piscina em terreno granítico, e nova regularização de espaços verdes pois os mesmos tinham ainda cariz agrícola.  

Neste caso existia uma casa do séc.XVII com acesso a partir de um caminho estreito . O acesso à propriedade era acanhado e não tinha necessidade disso.

Criou-se então  uma nova entrada em 2014 ,  mais a sul e mais distante da casa, mas que permitia ter algum parque automóvel. 

Essa entrada convidava ainda a uma nova " aproximação" da casa.

Em  arquitetura a forma como se chega a qualquer edifício é da maior importância. O chamado " approach" como algum arquiteto famoso lhe chamou (!)

Essa nova aproximação veio a valorizar o modo como admiramos a casa antiga e a vemos de forma mais global, e envolvida pelos espaços verdes. 

O projecto de transformação,  visou afinal a valorização dos espaços exteriores, sem grande intervenções . A chamada " arquitetura  sem tecto".

Mário Pessegueiro - 2017

Local: Vilar de Mouros - Caminha
designação: Quinta do Pessegueiro